Semana de conteúdo: a versatilidade do coturno na moda masculina

O coturno é outro clássico no universo de botas masculinas, já sendo datado desde a idade média, porém seu verdadeiro início foi na Inglaterra quando em 1642 Thomas Pendleton forneceu 600 pares de botas para o exército inglês. Já em meados do século XIX as máquinas de costura começaram a surgir e foram transformando esse calçado em produtos mais acessíveis, nesta época as botas eram os principais acessórios para os pés.

Um dos coturnos mais famosos e usados até hoje é o da marca Dr. Martens. Esse modelo foi criado por Klaus Märtens, que era médico no exército alemão durante a II Guerra Mundial. Foi ao se machucar o tornozelo enquanto esquiava viu que o padrão das botas militares era muito desconfortável e o deixava com os pés machucados. Enquanto se recuperava, ele projetou melhorias para as botas, como o couro macio e solas com amortecimento aerado.

As botas criadas por Klaus ganharam uma enorme projeção mundial os skinheads no final dos anos 60 e depois mais tarde se popularizou com o movimento punk rock britânico, durante a década de 1970.

Mesmo nascendo no universo militar, esse calçado hoje é sinônimo de despojado e irreverente, então não vale usar com peças sérias. Quanto mais grosso o tecido e mais irreverentes forem as peças, melhor. Vale também a premissa de dobrar a calça jeans e deixar seu coturno bem amostra.

Para limpa-los uma sugestão é utilizar apenas um pano úmido ou ainda usar um produto especifico para couro, que dará brilho a peça e manterá suas características originais.

Comentários